Segue-nos no Facebook e juntos vamos criar a maior comunidade de MMA em português!

Espaço do Fontes #12 – O Sol Nascente De Kape

Prodígio.

Na definição do Dicionário Priberam: coisa sobrenatural; milagre; maravilha; portento.

Se de sobrenatural nada tem, qualquer dos restantes sinónimos assenta na perfeição a Manel “Prodígio” Kape.

Porque é mesmo isso o que ele é: um caso á parte!

Não foram, no entanto, as Artes Marciais a primeira paixão daquele que é considerado um dos maiores talentos Portugueses, no que ao MMA concerne.

Nascido em Angola há 24 anos, Kape sonhava em tenra idade – como de resto qualquer outro miúdo – com as fintas virtuosas a que assistia no Futebol.

Foi por influencia descomprometida de dois amigos, que nele testavam golpes de jiu-jitsu (aos quais Manel não achava particular graça) que o bichinho começou a ficar.

Até hoje.

Após ter experimentado o MMA e percebido toda a complexidade e beleza por detrás desta arte, o “Prodígio” decidiu que não poderia desperdiçar um talento que saltava a olhos vistos.

Foi assim que construiu uma carreira imaculada enquanto Amador, culminada com o “The Best Fighter MMA Amateur (ADC) em 2011.

Seria na transição para Profissional que as duvidas se dissipariam: estaria Manel Kape preparado para trilhar o caminho de sucesso que todos lhe apontavam?

Falamos de um prodígio, a resposta a esta questão só poderia ser afirmativa!

Depois de um inicio 100% vitorioso no Cage Fighters, sofreria o seu primeiro revés ás mãos de Souksavanh Kampasath.

Por submissão.

Não seria uma derrota a travar Kape.

Respondeu com 5 combates de seguida. Todos vitoriosos.

KOC – Knock Out Championship, AFL – Ansgar Fighting League, Invictus e IPC – International Pro Combat, todas estas Ligas e Eventos conheciam agora o poder do “Prodigio”.

Até que chegou a Rizin.

E foi aqui que verdadeiramente se deu a conhecer ao Mundo.

Primeiro com uma vitória – em 1 minuto e 11 segundos – frente a Erson Yamamoto por TKO.

Depois, Ian “Uncle Creepy” McCall.

E quem assistiu a tudo o que foi esta luta, percebeu que aqui nasceu uma estrela.

O confronto entre o Kape e o Americano, meses antes no Twitter, ainda hoje pode ser recordado, através de um vídeo no Youtube com quase 20.000 visualizações.

Na pesagem, Manel voltou a dar nas vistas. O “calduço” com que presenteou McCall também pode ser visto na rede social de vídeos. Tem quase 200.000 “views”.

Na Conferencia de Imprensa, voltou a repetir tudo aquilo que lhe é natural e inato, ver concentrado em si o holofote da sala.

É esta a prova final de que a diferença de “star power “entre Kape e os seus adversários é abissal.

O futuro será prova disso mesmo.

Na vida social é também assim: não é raro vermos imagens do lutador como “bon vivant”, a beber ou até a fumar…shisha!

Onde quer que vá, Manel “Prodigio” Kape é a estrela e comporta-se como tal.

O seu caminho até ao titulo de Bantamweight no Rizin Grand Prix 2017 apenas foi travado por Kyoji Horiguchi.

O sonho terminou com um “Arm-Triangle Choke “.

Apenas temporariamente.

Porque o “Prodígio” provou que no Japão nasceu uma estrela.

O Pais do Sol Nascente.

Mas não é aí que irá ficar.

Tal como o Sol faz o seu percurso até Poente, também ele fará o seu caminho.

O Poente de Kape tem, no entanto, um nome: UFC.

Será aí que este Sol nascido em Angola irá brilhar.

Que ninguém duvide.

Até para a semana… e boas lutas!

João Fontes

Sabes de alguma notícia que não está publicada no Ultimate Fight? Envia-nos!

Sobre o Autor

Facebook Profile photo

Comentar

Editar avatar »