Segue-nos no Facebook e juntos vamos criar a maior comunidade de MMA em português!

Espaço do Fontes #7 – E Agora, Ronda Rousey?

Começou como um boato, rapidamente se transformou em rumor, até que finalmente chegou a noticia, quase confirmada.

Ronda Rousey vai entrar no mundo do pro wrestling, na maior Federação daquela modalidade, a World Wrestling Entertainment (WWE) que vê a lutadora como um big draw  para o seu maior evento anual, a Wrestlemania.

Sem combater há um ano, desde a altura em que foi nocauteada pela Brasileira Amanda Nunes em menos de 1 minuto, mas mantendo-se como lutadora oficial de MMA – Dana White afirmou há pouco tempo que a USADA a continua a testar – a verdade é que Americana parece, por agora, querer entrar por caminhos que não são virgens na modalidade.

O que levará, no entanto, uma das maiores Campeãs da história da UFC a dar este passo, abdicando – pelo menos por agora – de uma carreira no octógono?

É preciso voltar atrás na vida de Rousey, alguém que desde tenra idade foi marcada por situações fraturantes – desde os seus problemas de fala na infância, o suicídio do pai, ainda não era ela sequer adolescente ou o insucesso escolar com que sempre foi confrontada – que desde cedo a fizeram perceber que o caminho não iria ser fácil.

Longe disso, foi a mãe, AnnMaria de Mars, uma antiga Campeã, quem a convenceu a experimentar judo. E aí, a então ainda adolescente Ronda conheceu aquele que seria verdadeiramente o seu Mundo. E o sentimento que não mais a largaria e que passou a ser a sua unidade de medida: SUCESSO.

Não fez por menos. Multi medalhada em Nacionais, Pan Americanos, Mundiais e Jogos Olímpicos, percebeu aos 21 anos que já nada mais teria a ganhar na modalidade e retirou-se.

Chegou então o MMA e à UFC  tornando-se uma estrela à escala mundial. Depois de 3 vitórias, ainda nos campeonatos amadores (todas em segundos) a Americana somaria mais doze seguidas entre Federações mais pequenas, Strikeforce e UFC. 12-0 eram estes os dígitos do sucesso de Ronda Rousey.

Até aquela noite em Melbourne em que foi nocauteada por Holly Holm. E o seu Mundo começou a ruir. Um ano e um mês depois, nova tentativa r nova derrota.

Rousey já não era Rousey, porque só existe Rousey com sucesso. E este, qual paixão que dói no coração, atraiçoou-a. Quando se levantou, após a ultima derrota na T-Mobile Arena em Las Vegas, apenas o fez fisicamente.

O espirito por lá permanece, à espera de ser resgatado.

Por agora terá de aguardar. O caminho de Ronda Rousey está a fazer-se aparentemente por outra estrada. Mas se bem a conhecemos, o destino final passará por um qualquer octógono.

Rousey não duvidem, voltará a ser Rousey.

Até para a semana…e boas lutas!

Sobre o Autor

Facebook Profile photo

Comentar

Editar avatar »