Segue-nos no Facebook e juntos vamos criar a maior comunidade de MMA em português!

Previsão Murro no Estômago #1 – Weidman x Gastelum

Sejam muito bem-vindos à nova rúbrica, do Ultimate Fight, onde iremos, fazer a previsão de todos os Cards principais dos eventos da UFC e do Bellator, dando a conhecer os lutadores e fazendo a minha previsão de vitória.

Nada melhor para começar, do que o UFC on Fox 25 que terá como Main Event, Weidman Vs Gastelum, que se realizará no Nassau Coliseum, em Long Island, no Estado de Nova York.

Estes eventos, que passam gratuitamente, em canal aberto, nos EUA, na Fox, normalmente têm Cards potentes, com nomes sonantes, com lutas importantes para lutadores que estão próximos de títulos, e muitas vezes, até, com títulos em jogo (por exemplo o UFC on Fox 24, que teve Demitrius Johnson, Rose Namajunas, Robert Whittaker, ou Ronaldo Jacaré). Não obstante, este evento não está claramente a esse nível, mas não deixa de ter um cartaz interessante e com lutas que interessantes de assistir.

Jimmie Rivera (20-1) VS Thomas Almeida (21-1) – Divisão de Bantamweigh

Começamos com um combate interessante, dois lutadores que não estão habituados a perder, que são duas jovens promessas desta divisão e estão ambos no Top 10 no Ranking da UFC, Jimmie Rivera (#4) e Thomas Almeida (#9).

Rivera, também conhecido como “El Terror”, actualmente um dos meus lutadores favoritos da UFC, está invicto na UFC (4-0), vencendo lutadores como, por exemplo, Iuri “Marajó” Alcântara e Urijah Faber, na sua penúltima luta da carreira. É um lutador completo, tem uma base de wrestlig, apesar de nunca ter competido ao mais alto nível, e um Kickboxing com qualidade, sendo este o seu forte, uma vez que treina a modalidade desde os 13 anos.

Almeida, a derrota com o Cody tirou-lhe a invencibilidade e o caminho que estava a trilhar, rumo a uma oportunidade pelo título, mas nem por isso o brasileiro desmoralizou, e na sua última luta foi vencer Albert Morales. Tem aqui mais uma grande oportunidade, para rumar a uma oportunidade pelo título e quem sabe um rematch com o “Nolove”. Thomas é um lutador com um Muayi Thai de alto nível, mas devido à sua juventude, muitas vezes parece querer fazer tudo muito rápido, deixando-lhe buracos defensivos, que poderão ser fatais com um lutador muito agressivo e intenso como é Rivera.

Aposta: Um combate numa das mais competitivas divisões da UFC, a minha aposta vai para Jimmie Rivera.

Patrick Cummins (9 – 4) VS Gian Villante (15 – 7) – Divisão de Light Heavyweight

Um combate de uma divisão que necessita de competitividade, estamos perante o #12 e #13, Cummins e Villante respectivamente, mas claramente que estes dois lutadores estão longe de serem considerados candidatos, atingir um top-5. Este combate já era para ter acontecido no UFC Fight Night 102, mas por lesão de Cummins acabou por não ocorrer.

Cummins, tem uma história engraçada na UFC, a sua estreia foi contra o actual campeão Daniel Cormier, em substituição, do Rashad Evans no Co-Main Event UFC 170 (Rousey Vs McMann) e até lá o americano tinha apenas 4 lutas enquanto profissional e trabalhava numa Coffee Shop. Patrick, tem um passado de Wrestling, Freestyle, tendo algumas vezes integrado a seleção americana, no entanto, e apesar do seu estilo atlético, é um lutador com um “queixo” muito frágil, as suas 4 derrotas foram por KO, e é um lutador pouco versátil, o que no MMA é um problema.

Villante, apenas com 31 anos, o ex Strikeforce, nos últimos tempos tem tido um trajecto irregular, com derrotas com Tom Lawlor, Ilir Lafiti e Mauricio “Shogun” Rua, e vitórias contra Corey Anderson, Anthony Perosh, Saparbek Safarov, esta última muito pouco convincente e um dos piores combates que assisti em 2016. É um Wrestler de origem, com um passado em Futebol Americano, Villante é um lutador com um bom queixo, que gosta de soltar o seu striking o que deixa antever, apesar da sua derrota contra Shogun, uma vitória para recuperar do brasileiro.

Aposta: A minha primeira aposta é que será o combate mais desinteressante da noite, e depois que Gian Villante vai ganhar

Dennis Bermudez (17 – 6) VS Darren Elkins (23 – 5) – Divisão de Featherweight

Dennis Bermudez (2-3), nº 10 do Ranking, nas suas 5 lutas, perdeu na sua última luta contra, o regressado, “Korean Zombie” Chan Sung Jung, vai enfrentar o nº 12 do Ranking, Darren Elkins.

Bermudez, entrou pela mão do The Ultimate Fighter (TUF) na UFC (Bisping VS Miller) onde foi derrotado por duas vezes, vencendo uma terceira, o que lhe valeu um lugar na final e uma derrota contra Diego Brandão, apesar de nesse evento ter sido eleita a melhor luta da noite. Aqui está mais um wrestler, mas engane-se quem pensa que é daqueles que gosta de estar ali só a fazer o efeito “manta”, é um wrestling agressivo e intenso, misturando o Ground and Pound, com tentativas de finalização. O seu boxe é razoável, mas muito intenso é um lutador que aproveita cada segundo para lançar o máximo de pancadas que conseguir, mas isso provoca brechas no seu jogo defensivo.

Elkins, surpreendeu-me no seu último combate, em que estava a ser dominado por uma das promessas da divisão, Mirsad Bektic, mas acabou por sair vencedor com um grande KO, atingindo a marca de 4 vitórias consecutivas. Elkins, competiu wrestler amador, mas é um lutador que se sente bem na trocação com o seu adversário, procura muito o contragolpe, mas quando percebe que as coisas em pé estão complicadas, opta pela luta agarrada colocando o seu wrestling em prática.

Aposta: A minha aposta vai para o sangue quente de Bermudez, em detrimento da inteligência e sangue frio de Elkins.

Chris Weidman (13 – 3) VS Kelvin Gastelum (14 – 2) – Divisão de Midleweight

IT’SSSSSS TIMEEEEEE…. das duas uma, ou é tempo de Gastelum se estabilizar como um efectivo candidato ao título de Michael Bisping, “substituindo” Mousasi nessa posição, ou o homem que colocou Anderson Silva KO, regressa em grande e derrota o homem que era muito pesado para os meio médios, mas que agora, apesar de ele continuar a afirmar que não, está efectivamente nasua categoria.

Weidman, gosto muito deste rapaz, e não me importava de o ver a sair para o Bellator, onde lhe dariam, espaço, tempo e sem pressão, para demonstrar que ele realmente, não é só um bom Wrestler. Chris vem de 3 derrotas consecutivas, Rockhold, o “Soldier of God” Yoel Romero e por último o “desertor” Gegard Mousasi, tem aqui mais um combate complicado, é 5º do Ranking e luta em casa. O Duas vezes All American na Divisão I da NCAA, apesar da evolução que tem feito ao nível do boxe, que deixou o “Spider” KO tem de voltar a ganhar confiança e para isso o melhor será mesmo apostar no Wrestling e no jiu-jitsu, que o trouxeram até aqui, no entanto parece-me pouco para um adversário como Kelvin Gastelum.

Gastelum, entrou na UFC pelo TUF 17 (Jones VS Sonnen), no qual fez parte da equipa de Sonnen e acabou por vencer com uma vitória sobre Uriah Hall. Este “miúdo” tem tudo para ser bem sucedido nesta divisão, ainda não perdeu e conseguiu obter vitórias convincentes contra Tim Kennedy e Vitor Belfort, apesar da decisão ter sido revertida. Demonstra grandes qualidades dentro do octogno, tem uma grande capacidade para misturar um Muay-Thai com Wrestling e Jiu-Jitsu, e junta a isso uma força e um ímpeto incrível, no entanto continua a possuir alguns problemas defensivos.

Aposta: A minha aposta vai para um motivadíssimo Gastelum.

Card principal do evento passa, em directo, na SportTV à 1h da manhã, deste Sábado.

Quais são os Combates que têm mais interesse em assistir e quem acham que vai ganhar?

Sobre o Autor

- Criador do Podcast Murro no Estômago e gosta de auto apelidar-se Analista, mas no fundo é só o Freitas Lobo do MMA

Comentar

Editar avatar »